( . / )

Gravação de 2015 é usada para insinuar que o WhatsApp seria bloqueado em setembro de 2021

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas mais de 580 vezes nas redes sociais desde o último 4 de setembro afirmam que o aplicativo de envio de mensagens WhatsApp será bloqueado, e o vídeo de uma reportagem é usado para embasar a alegação. De acordo com os usuários, essa seria uma forma de dificultar a comunicação no contexto dos protestos pró-governo de 7 de setembro de 2021. Mas a gravação viralizada data de dezembro de 2015, quando o Tribunal de Justiça de São Paulo realmente fez uma solicitação de bloqueio do WhatsApp.

“Bloqueio do Whatsapp por 48 horas. Mas não faz diferença: todos já sabem onde devem estar no dia 7 - e se necessário lá permanecer até a solução definitiva” e “Bloqueio no whatsapp? 07 de setembro TDS os brasileiros de bem nas ruas lutando pela nossa liberdade, contra a CORRUPÇÃO e o APARELHAMENTO das instituições. #FechadoComBolsonaroSempre”, são algumas das legendas que acompanham o vídeo, compartilhado no Facebook (1, 2), no Twitter (1, 2) e no YouTube.

A mesma gravação foi enviada ao WhatsApp do AFP Checamos para verificação.

No vídeo que acompanha as mensagens viralizadas, informa-se que o bloqueio do aplicativo teria início “à meia-noite” e duraria “dois dias”. Algumas das publicações não dizem quando começaria esse bloqueio, mas todas sugerem que a gravação se refere a uma ação a ser desencadeada no início de setembro de 2021.

Captura de tela feita em 6 de setembro de 2021 de uma publicação no Facebook ( . / )

A maior parte das publicações associa a suposta ação de bloqueio do WhatsApp a uma tentativa de boicotar os atos marcados para o próximo 7 de setembro, que, de acordo com o presidente Jair Bolsonaro, serão “um ultimato” aos juízes do Supremo Tribunal Federal (STF), que acusa de quererem prejudicá-lo.

Mas o vídeo viralizado nas redes sociais não é de 2021 e nem sequer tem relação com protestos a favor do mandatário.

Vídeo de 2015

A gravação é um trecho da transmissão do Jornal das Dez, do canal GloboNews, que faz parte do Grupo Globo, então apresentado pelo jornalista Dony de Nuccio

No vídeo que circulou nas redes sociais neste mês de setembro não é mencionada a data em que a reportagem foi feita, apenas que a Justiça havia determinado o bloqueio do WhatsApp “por dois dias a partir de meia-noite”.

Mas uma busca pela frase “Justiça ordena bloqueio do WhatsApp por dois dias a partir de meia-noite” levou ao mesmo vídeo, publicado na seção do Jornal das Dez no portal G1, mas com data de 16 de dezembro de 2015.

Uma comparação entre a sequência agora viralizada nas redes e o vídeo original de 2015 permite constatar que se trata do mesmo conteúdo.

Comparação feita em 6 de setembro de 2021 entre uma publicação no Facebook (E) e o vídeo publicado em dezembro de 2015 ( . / )

Uma pesquisa no Google pelas palavras-chave “bloqueio WhatsApp” limitada apenas para dezembro de 2015 mostra que esse tema foi amplamente noticiado (1, 2, 3), após a 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, em São Paulo, ordenar que as operadoras de telefonia móvel bloqueassem o aplicativo de mensagens.

O site do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) também informa sobre o bloqueio em 16 de dezembro de 2015, mas o texto não revela a motivação da decisão, por correr em “segredo de justiça”. O parecer foi dado pois o aplicativo “não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015” e, posteriormente, “em 7 de agosto de 2015, a empresa foi novamente notificada, sendo fixada multa em caso de não cumprimento”.

Finalmente, segundo a nota, devido ao fato de não ter atendido à determinação da Justiça, “o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet.

Em dezembro de 2015, a presidente do Brasil era Dilma Rousseff (2011-2016), e o então deputado federal Jair Bolsonaro nem sequer havia manifestado interesse em concorrer ao cargo de chefe de Estado, o que apenas aconteceu no final de 2016.