( . / )

Vídeo em que Fernández é insultado é de 2016, antes de ser candidato à Presidência argentina

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Um vídeo em que o atual presidente da Argentina, Alberto Fernández, é hostilizado em um shopping, aos gritos de “ladrão” e “assassino”, foi visualizado mais de 50 mil vezes nas redes sociais neste 24 de agosto. Segundo as publicações, as imagens mostram como o mandatário “está sendo tratado” no país. O registro foi feito, no entanto, em julho de 2016, antes mesmo de Fernández se candidatar à Presidência.

“Argentina esta devastada economicamente Povo ja não aguenta mais.. Olha só como o amigo do Lula, presidente Alberto Fernandez, está sendo tratado”, diz uma das legendas que acompanha o vídeo no Facebook (1, 2, 3), Twitter (1, 2, 3) e Instagram. “O povo está reagindo. O presidente da Argentina rejeitado pela população”, diz texto sobreposto às imagens em algumas das postagens. 

Na gravação, Fernández discute com um homem no que parece ser a praça de alimentação de um shopping, enquanto uma terceira pessoa pode ser ouvida gritando em espanhol: “vagabundo, ladrão, assassino”.

Captura de tela feita em 24 de agosto de 2021 de uma publicação no Facebook ( . / )

As imagens compartilhadas nas redes não foram feitas, contudo, durante o mandato de Fernández na Casa Rosada. 

Uma busca no Google pelo nome de Fernández associado aos insultos identificados no vídeo mostra que o episódio foi amplamente reportado pela mídia argentina em julho de 2016 (1, 2, 3).

Segundo as reportagens, o vídeo foi gravado no shopping Patio Bullrich, em Buenos Aires. “Uma pessoa começou a insultar o ex-chefe de gabinete no centro comercial e outros se juntaram a ela”, escreveu, na época, o jornal La Nación. 

Em 8 de julho de 2016, Fernández se pronunciou sobre o episódio em sua conta no Twitter, respondendo a uma usuária que perguntou por que ele havia sido agredido. “Não me agrediram. Um imbecil me insultou e muita gente se solidarizou comigo”, escreveu.

O político também mencionou o ocorrido em entrevistas em 2016. “Foi muito desagradável, inclusive, por causa da covardia dessa figura. Esse senhor passou quase correndo, me insultando aos gritos e, quando fui enfrentá-lo, como mostra o vídeo, continuou correndo enquanto gritava e insultava”, disse à emissora América TV. 

Em 2016, quando o vídeo foi gravado, Fernández não ocupava nenhum cargo político. Ele era conhecido por ter chefiado, entre 2003 e 2008, o gabinete de ministros dos ex-presidentes Néstor e Cristina Kirchner. Foi apenas no início de 2019 que ele se lançou oficialmente como candidato à Presidência, com Cristina como vice. 

Fernández foi eleito em 27 de outubro de 2019 e assumiu o cargo em 10 de dezembro do mesmo ano.

Sem máscaras

Outro elemento já indicava que o vídeo compartilhado nas redes sociais não foi feito em 2021: nenhuma das pessoas usa máscaras contra a covid-19. Em Buenos Aires, onde o vídeo foi gravado, o uso do dispositivo de proteção é obrigatório para circular e permanecer em espaços públicos, incluindo em estabelecimentos comerciais. 

Defensor de medidas rígidas contra a pandemia de covid-19, Fernández tem se contraposto ao presidente Jair Bolsonaro, a quem criticou no início da pandemia por sua estratégia de combate à doença.