( . / )

O Foro de São Paulo não consta como organização terrorista no site da CIA

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Publicações que afirmam que o Foro de São Paulo é considerado pela Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos como uma organização criminosa mais perigosa e mais rica do que o Talibã tiveram mais de 500 compartilhamentos nas redes sociais desde pelo menos 2019. O suposto documento elaborado pela CIA ganhou força novamente, após o Talibã assumir o poder no Afeganistão em agosto de 2021. Mas a lista é falsa. Não há menção ao Foro de São Paulo na enumeração de organizações consideradas terroristas no site da CIA e nem no site do Departamento de Estado norte-americano. No ranking original, elaborado pela Forbes, no terceiro lugar não consta o Foro, mas sim as Farc, da Colômbia.

“Segundo a CIA, o foro de SP é maus perigoso que o Talibã ..”, diz uma publicação no Twitter. O mesmo conteúdo também circulou no Facebook (1, 2, 3) e no Instagram (1, 2). 

Na imagem compartilhada lê-se a seguinte frase: “A CIA (polícia secreta americana) divulga lista das mais perigosas e ricas organizações terroristas do mundo. Sabe quem aparece em terceiro lugar??”.

Captura de tela feita em 20 de agosto de uma publicação no Twitter

Nos Estados Unidos, no entanto, organizações terroristas estrangeiras (Foreign Terrorist Organizations ou FTOs, em inglês) são designadas pelo Departamento de Estado norte-americano. A lista de organizações terroristas estrangeiras está disponível tanto no site do departamento quanto no da CIA, mas o Foro de São Paulo não consta entre as 65 organizações atualmente listadas. 

Ainda segundo o Departamento de Estado, o Foro de São Paulo também não está entre as organizações que foram removidas da lista, ou seja, o Foro nunca esteve entre os grupos listados. 

Além disso, no site da CIA não é possível ver o patrimônio estimado das organizações listadas como terroristas. A página da agência de inteligência norte-americana limita-se a revelar algumas informações relativas a financiamento dos grupos, mas não fornece valores, como indica a tabela viralizada.

Uma pesquisa pela palavra-chave “foro” no site da CIA também não trouxe nenhum resultado.

Organizações terroristas mais ricas

Uma busca no Google pelos dois primeiros grupos citados e seus respectivos valores mencionados na imagem trouxe como resultado uma reportagem da revista Veja publicada em 2020 a respeito de um ranking de 2014 elaborado pela versão israelense da revista Forbes sobre os grupos terroristas mais ricos do mundo.

Uma segunda pesquisa no Google usando as palavras-chave em inglês “Forbes Israel 10 richest terrorist groups” mostrou como resultado a reportagem de 2014 do veículo. 

Apesar de os demais valores que constam na imagem estarem corretos, o terceiro lugar na lista publicada pela Forbes é ocupado pela ex-guerrilha Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), e não pelo Foro de São Paulo.

Uma busca reversa feita na ferramenta Bing com a imagem viralizada resultou em uma postagem no Instagram datada de 2019, o que mostra que a alegação viralizada não é recente.

Criado em 1990, o Foro de São Paulo é uma organização que engloba partidos e movimentos de esquerda da América Latina e do Caribe. 

Logotipo do Foro de São Paulo 2019 é visto no Hotel Alba em Caracas, em 25 de julho de 2019 ( AFP / Federico Parra)

A rigor, e apesar de estar incluído na lista da Forbes, o próprio Talibã também não está entre as organizações designadas como terroristas pelo Departamento de Estado norte-americano.

O órgão dos EUA designa como terrorista o Tehrik-i-Taliban Pakistan (TTP), no Paquistão, que tem vínculos com o Talibã do Afeganistão, segundo o Centro para Segurança Internacional e Cooperação da Universidade de Stanford. O grupo está na lista desde 2010. 

Outra organização ligada ao Talibã afegão, a Rede Haqqani, também está incluída na lista de organizações terroristas estrangeiras. A rede é conhecida por usar homens-bomba e suspeita-se que tenha orquestrado alguns dos maiores atentados em Cabul ao longo dos anos. O grupo tem bastante influência no conselho de liderança do Talibã afegão.

Em 2002, o governo norte-americano incluiu o Talibã na lista de “Terroristas Globais Especialmente Designados” (SDGTs, na sigla em inglês) do Tesouro. O grupo, contudo, nunca esteve na lista de terroristas do Departamento de Estado, já que não consta entre os grupos removidos da listagem.

Checagem semelhante foi publicada pelo Fato ou Fake e Aos Fatos.