Este vídeo de policiais atirando em pessoas mostra um exercício na Índia em 2017, não Cuba

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo de policiais supostamente atirando em pessoas desarmadas foi compartilhado centenas de vezes em redes sociais, desde o dia 15 de julho de 2021, junto à alegação de que teria sido gravado em Cuba. A afirmação, porém, é falsa. Na verdade, a filmagem mostra um exercício policial, simulado, no estado indiano de Jharkhand em 2017.

“Assassinos em Cuba atirando no povo desarmado esse é o socialismo que a esquerda quer para o Brasil”, diz uma das legendas publicadas no Facebook (1, 2).

“Entenda a relação dessa cena em Cuba com a apuração secreta dos votos e reaja... não basta dizer que entende”, afirmou um usuário no Twitter em meio à discussão para adoção do voto impresso no Brasil. 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou no dia 13 de julho de 2021 em frente ao Palácio da Alvorada que “aqui no Brasil, para não entrar na linha de Cuba, tem que ter o voto impresso e auditável. E a contagem pública dos votos também”. Afirmações semelhantes têm sido reproduzidas por seus apoiadores em redes sociais desde então. O presidente e seus seguidores têm pressionado o Congresso para a implementação da cédula impressa, além da urna eletrônica utilizada atualmente.


Captura de tela feita em 19 de julho de 2021 de uma publicação no Twitter

As publicações foram compartilhadas após a eclosão de protestos em Cuba em 11 de julho de 2021, sob gritos de “Abaixo a ditadura!”, “Que saiam!” e “Pátria e vida!”. As manifestações contrárias ao governo foram desencadeadas pela crise econômica e sanitária que atinge a ilha. O presidente Miguel Díaz-Canel convocou apoiadores para tomarem as ruas em resposta aos atos.

O vídeo, no entanto, havia sido publicado também em março de 2020 em indonésio em publicações que afirmavam se tratar de policiais indianos disparando contra muçulmanos. A informação foi verificada pela AFP na época.

Mas as mensagens viralizadas eram falsas. A filmagem já havia circulado na internet em 2017 e se trata de um exercício policial em Khunti, uma cidade no estado indiano de Jharkhand.

Exercício simulado

A partir de uma busca por palavras-chave no Google, a gravação viralizada com cerca de 23 segundos foi encontrada em um vídeo de um minuto, publicado no YouTube em 1 de novembro de 2017, intitulado: “Exercício de treinamento da polícia de Khunti”.

No final da filmagem, é possível ouvir um policial falando em hindi que aquela havia sido “apenas uma demonstração de que a polícia de Khunti está preparada para agir contra qualquer situação desagradável”.

Além disso, um vídeo de dois minutos e 35 segundos do mesmo evento, gravado de um ângulo diferente, foi publicado no YouTube em 3 de novembro de 2017, com o título: “Polícia de Jharkhand KHUNTI (parte do treinamento) ensaio”.

A legenda do vídeo diz: “No ensaio de khunti para a polícia. Como nós, policiais, lidamos e controlamos multidões em cidades e outros lugares. (é apenas e apenas um ensaio)”.

O jornalista freelance Anand Dutta, que trabalha na cidade indiana, disse à AFP em 2020 que o exercício foi realizado perto da praça principal de Khunti na mesma época das celebrações do festival hindu de Diwali em 2017.

“O local visto no vídeo é próximo à praça principal da cidade de Khunti”, disse.

Dutta também enviou fotos via WhatsApp da rua onde foi feito o treinamento. Abaixo, uma colagem de fotos enviadas pelo jornalista (esquerda) e capturas de tela feitas do vídeo reproduzido na publicação enganosa por usuários no Facebook (direita), com elementos semelhantes destacados:

Colagem de fotos enviadas pelo jornalista (E) em 2020 e capturas de tela do vídeo viralizado no Twitter

Uma fachada vermelha da loja Jagdamba Steel, que pode ser vista aos quatro segundos do vídeo enganoso, também pode ser vista em uma imagem carregada por um usuário do Google e marcada no local no Google Maps

O vídeo do exercício da polícia também apareceu anteriormente em publicações enganosas nas redes sociais que afirmavam mostrar a polícia indiana atirando em caxemires.