A multidão cantando o hino não estava onde Bolsonaro foi internado, o vídeo é de maio de 2021

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo que supostamente mostra “o povo na frente do hospital” em São Paulo, onde o presidente Jair Bolsonaro esteve internado até a manhã do último 18 de julho, foi compartilhado mais de 1,9 mil vezes nas redes sociais desde o dia anterior. No entanto, as imagens foram feitas em um ato em apoio ao governo que aconteceu na Avenida Paulista em 1° de maio de 2021. 

“O povo na frente do hospital onde está o meu presidente”, diz uma das publicações compartilhadas no Twitter, no Facebook (1) e no Instagram.

Captura de tela feita em 18 de julho de 2021 de uma publicação no Twitter

O presidente Jair Bolsonaro foi internado no hospital Vila Nova Star de São Paulo no último 14 de julho, para tratar de uma obstrução intestinal, e recebeu alta quatro dias depois.

Nas imagens viralizadas pode-se observar que o vídeo em que as pessoas vestidas de verde e amarelo aparecem cantando o hino nacional foi gravado na altura do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), localizado na Avenida Paulista, no centro da cidade. 

Já o centro hospitalar fica a quatro quilômetros de distância, no bairro de Vila Nova Conceição, de acordo com o Google Maps

Comparação feita em 19 de julho de 2021 entre o vídeo viralizado (E) e uma captura do Street View do Google mostrando o mesmo edifício na Av. Paulista

Na gravação viralizada é possível ver o nome da conta do TikTok na qual o vídeo foi compartilhado no dia 2 de maio.

Na véspera,  registraram-se manifestações em apoio ao presidente em várias cidades do país.

Uma outra gravação publicada no YouTube no dia 1° de maio de 2021, feita de outro ângulo da Avenida Paulista, mostra a mesma cena que as postagens viralizadas alegam ser da frente do hospital no qual Bolsonaro foi internado. 

Comparação feita em 19 de julho de 2021 entre o vídeo viralizado (E) e a gravação no YouTube com data de 1º de maio de 2021

 

O presidente deixou o hospital na manhã de 18 de julho, conversou com jornalistas no local e de lá embarcou para Brasília.